Nosso site contém links para sites afiliados, e recebemos uma comissão de afiliado a cada compra realizada no site afiliado através de cliques em links em nosso site. Saiba mais. Nossas avaliações não são influenciadas pela participação nesses programas.
  1. WebsitePlanet
  2. >
  3. Blog
  4. >
  5. 60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Bethenny CarlBethenny Carl
Neste artigo
Trabalho freelance sob a sombra de uma pandemia1. Há queda na demanda de curto prazo, mas nem toda a esperança está perdida2. Impacto da pandemia aos freelancers no Brasil3. Freelancers e instabilidade econômicaO mercado de trabalho freelance atual4. O número de freelancers está crescendo — rápido5. Como os freelancers veem o trabalho6. As maiores plataformas freelance7. Onde os clientes estão localizados8. Maiores compromissos de tempo para posições freelance9. Freelancers recorrem à capacitação para progredir na carreira10. Empresas e indivíduos estão adotando o trabalho remotoMão de obra freelance11. Preocupações importantes dos freelancers12. Freelancers são mais jovens13. Dados demográficos de freelancers por gênero14. A maioria dos freelancers trabalha de casa15. Motivos das pessoas para se tornar freelancers16. Freelancers lidam com múltiplos projetos17. Metade dos freelancers são trabalhadores intermitentes18. Formação mais valorizadas pelos freelancers19. Freelancers são mais ativos politicamente20. A maioria dos freelancers tem múltiplas habilidadesBenefícios da economia freelance21. Freelancers contribuem com a economia22. Freelancers têm um melhor equilíbrio entre vida pessoal e profissional23. Freelancers são mais felizes e saudáveis24. Freelancers são mais otimistas em relação a oportunidades de evolução25. Muitos freelancers se sentem mais seguros em seus empregos26. O trabalho freelance oferece suporte a diversas circunstâncias pessoaisRendimentos na economia freelance27. Em média, mulheres ganham menos que homens28. Ganhos médios dos freelancers por hora por setor29. Ganhos médios globais dos freelancers por hora30. Quando se trata de pagamentos, a experiência supera a educação31. Freelancers em tempo integral têm dificuldades para administrar dívidas32. Freelancers são explorados… e muitoProjeções futuras33. Freelancers representarão a maioria da força de trabalho dos EUA34. A maioria das empresas recorrerá a trabalhadores freelancers35. O que os freelancers querem mais no futuro36. Globalização e trabalho freelance37. Nenhuma quantidade de dinheiro poderia me afastar do trabalho freelance30 estatísticas adicionaisConclusão

Vivendo em uma época na qual o trabalho remoto não é apenas um benefício, mas parte essencial de um negócio seguro e eficaz, as empresas estão sendo forçadas a repensar a forma como operam.

A pergunta sobre se o trabalho freelance é apenas uma moda deixou de ser relevante – ele está aqui, e a flexibilidade de trabalho é agora uma consideração séria, tanto para empresas quanto para indivíduos. A questão real é a seguinte: é possível ganhar um salário decente dessa forma? E contratar um freelancer para seu projeto é um bom investimento?

Garantias e promessas vagas não são suficientes. Você precisa de dados concretos e informações confiáveis antes de fazer um investimento ou mudar o rumo da sua carreira.

Não se preocupe – vamos ajudá-lo.

Analisamos os relatórios e estudos mais recentes, e reunimos inúmeras informações que comprovam que o trabalho freelance é algo que todos devem levar a sério, esteja você em busca de trabalho ou pretendendo contratar alguém.

Porém, não acredite apenas em nossa palavra. Os números falam por si só.

Trabalho freelance sob a sombra de uma pandemia

À mercê de um vírus que causou uma pandemia global, o mercado freelance em muitos países, incluindo Brasil e Portugal, já está mudando significativamente. Para alguns, a incerteza tem um peso muito grande sobre a economia, forçando à tomada de decisões difíceis. Para outros, está ocorrendo uma reestruturação, e a dependência do trabalho flexível é uma realidade forçada, e não uma escolha pensada.

1. Há queda na demanda de curto prazo, mas nem toda a esperança está perdida

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Mais da metade dos freelancers globais (60%) relatou uma queda na demanda por seus serviços nos últimos três meses. No entanto, quase 17% relataram o contrário.

Ainda assim, a maior parte dos freelancers (74%) ainda está otimista com relação ao futuro, e mais da metade (53%) espera ver uma alta no longo prazo. Isso se deve ao aumento do trabalho remoto, que pode oferecer mais oportunidades freelance à medida que as equipes passam a realizar operações remotas.

Para pequenas e médias empresas, essa situação é um ganha-ganha, pois elas reduzem suas despesas gerais (espaço de trabalho, benefícios) e aumentam seu pool de talentos eliminando as tradicionais restrições geográficas e barreiras burocráticas.

2. Impacto da pandemia aos freelancers no Brasil

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021Analisamos também algumas estatísticas no Brasil, especificamente na Workana, uma popular plataforma freelance. Desde o início da pandemia, o número de freelancers brasileiros aumentou 32%, alcançando 293 mil profissionais que oferecem seus serviços online. Isso representa cerca de 50% do total de ofertas freelance na Workana. Sem dúvidas, esse crescimento impressiona, e seu pico ocorreu em maio do ano passado, quando 37 mil projetos foram publicados.

Se você está buscando profissionais para contratar ou considerando arriscar o salto rumo ao trabalho freelance, este é o momento para agir, pois o mercado freelance vem crescendo exponencialmente nos últimos meses. Segundo a Workana, as 3 principais categorias com maior demanda são “Design e Multimídia”, “TI e Programação” e “Tradução e Conteúdos”. Confira o gráfico abaixo para um resumo rápido das categorias mais contratadas nos últimos meses.

3. Freelancers e instabilidade econômica

Em geral, os freelancers descobrem que possuir múltiplas fontes de renda lhes permite uma maior segurança financeira, e 65% deles concordam com o fato de que “manter um portfólio diversificado de receitas a partir de vários clientes é mais seguro do que possuir um único empregador”.

Eles também estão dispostos a receber mais trabalhos, sendo que 93% dos freelancers em tempo integral concordam com o fato de que “se for preciso, posso trabalhar mais para ganhar mais dinheiro”.

Aqueles que não são freelancers também ficam atraídos por esse raciocínio, pois 76% afirmaram que considerariam o trabalho freelance em um período de recessão.

O mercado de trabalho freelance atual

Vamos conferir as oportunidades disponíveis, os trabalhos mais populares e as habilidades necessárias para você conquistá-los.

4. O número de freelancers está crescendo — rápido

  • 41% da força de trabalho dos EUA trabalham como freelancers, o que representa um aumento de 13% em relação a 2013
  • Ao mesmo tempo, os não freelancers cresceram apenas 2%
  • 28% dos norte-americanos trabalham como freelancers em tempo integral, o que representa um aumento de 17% em relação a 2014
  • 53% da geração Z (18-22 anos) opta pela carreira freelance

No Brasil, e não apenas nos EUA, esse crescimento é conduzido principalmente pelas gerações mais jovens, sendo que 53% dos trabalhadores da geração Z atualmente atuam como freelancers – mais do que qualquer outra geração. Ao mesmo tempo, mais millennials estão trabalhando como freelancers em tempo integral (40%), o que sugere que essa prática está se tornando uma opção de estilo de vida, e não um simples complemento financeiro.

5. Como os freelancers veem o trabalho

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Investigamos onde a maioria dos freelancers procura trabalho, e fizemos uma descoberta interessante. A maior parte dos freelancers depende de suas conexões e de networking para encontrar novos clientes.

Outros métodos populares incluem firmas de recrutamento, classificados online e apps de gig economy. Se você está apenas começando, é melhor testar vários métodos para ver o que funciona melhor no seu caso.

6. As maiores plataformas freelance

Estes são os maiores sites freelance por quantidade de usuários (clientes e freelancers):

A maior plataforma freelance por número de usuários é o Freelancer.com, com mais de 31 milhões. Você pode ler nossa avaliação para saber como é trabalhar na plataforma.

A segunda mais populosa, mas considerada a melhor por muitos freelancers, é o Upwork, com mais de 17 milhões de usuários registrados (12 milhões de freelancers e cinco milhões de clientes). Curioso para saber como é trabalhar como freelancer no Upwork? Confira nossa avaliação.

Você também pode descobrir como é trabalhar na terceira maior plataforma, Fiverr, lendo nossa avaliação. Se você pretende trabalhar ou contratar, as plataformas freelance definitivamente são uma estratégia que deve ser considerada.

7. Onde os clientes estão localizados

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

O Payoneer, empresa de serviços financeiros, recentemente perguntou a freelancers onde seus clientes estavam localizados. A maioria estava na América do Norte (36%), enquanto os clientes na Europa somaram 27%. As regiões com menos clientes foram Austrália (7%), Oriente Médio (5%) e África (4%).

Embora o trabalho remoto elimine as barreiras geográficas de trabalho, os freelancers devem estar cientes de que o nível de pagamento costuma estar alinhado ao custo de vida do país do cliente.

8. Maiores compromissos de tempo para posições freelance

Média de horas trabalhadas por semana por tipo de trabalho:

  • Gerenciamento e relações humanas: 39 horas
  • Engenharia e produção: 38,2 horas
  • Atendimento ao cliente e cargos administrativos: 38,2 horas
  • Programação e TI: 37,4 horas
  • Marketing e vendas: 37 horas
  • Multimídia e design: 36,5 horas
  • Tradutores e escritores: 34 horas
  • Cargos legais: 33,6 horas

O número de horas trabalhadas por semana varia bastante dependendo da área de expertise do freelance e da natureza do trabalho (ex.: contadores ficam mais ocupados durante o período de recolhimento de impostos). No entanto, a maioria dos freelancers trabalha um período de horas similar àquele de funcionários assalariados em tempo integral.

Embora muitos freelancers optem por trabalhar meio período, alguns cargos exigem um comprometimento em tempo integral. Os cargos que exigem mais horas incluem gerenciamento (39 horas por semana, em média), bem como engenharia, produção, atendimento ao cliente e cargos administrativos (38,2 horas).

9. Freelancers recorrem à capacitação para progredir na carreira

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Um estudo recente perguntou a freelancers quais habilidades eles têm mais interesse em aprimorar para evoluir suas carreiras. Dada a natureza da economia freelance, não surpreende que o maior percentual (40%) esperava melhorar suas habilidades de networking.

As habilidades de marketing são a segunda mais cobiçada, com 35%. Outras habilidades desejáveis incluem gestão financeira (33%), gestão de projetos (28%) e habilidades para mudar de área (25%).

Isso indica uma demanda por requalificação na comunidade freelance, a qual pode ser colocada em prática através de apps ou programas de formação.

10. Empresas e indivíduos estão adotando o trabalho remoto

De todas as organizações do mundo (com mais de 1.000 funcionários), um quinto inclui pelo menos 30% de trabalhadores remotos. E, nos últimos cinco anos, 50% de todas as organizações apresentaram um crescimento substancial na mão de obra freelance.

Até 50% das vagas nos EUA são compatíveis com o trabalho remoto, e 80% dos trabalhadores afirmam que gostaria de trabalhar remotamente, pelo menos em meio período. No entanto, apenas 7% das empresas efetivamente permitem que os funcionários trabalhem remotamente em qualquer nível.

Na União Europeia, desde o surgimento da COVID -19, milhões de profissionais começaram a trabalhar remotamente em tempo integral, o que representa quase 40% dos profissionais em atividade na UE hoje em dia. Antes da pandemia, apenas 15% dos trabalhos eram realizados remotamente; agora, esse número cresceu para 25% – e provavelmente continuará subindo.

No entanto, há muitas empresas de grande porte que começaram a fazer uso de equipes totalmente remotas. Elas incluem Edgar, Toptal, Basecamp, InVision, Ghost, Automattic, Zapier, Hubstaff, Trello, Buffer, Groove, Doist e Toggl. Isso mostra que tanto as empresas quanto os indivíduos estão cada vez mais confortáveis com o trabalho remoto.

Mão de obra freelance

As estatísticas a seguir têm como foco os próprios freelancers e incluem informações sobre seus interesses, formação e relação vida-trabalho:

11. Preocupações importantes dos freelancers

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Quando os entrevistados foram questionados sobre suas principais preocupações com o trabalho freelance, suas principais respostas foram distribuídas de modo relativamente uniforme.

A capacidade de poupar dinheiro foi a maior preocupação para 76% dos freelancers, seguido de perto pelo ato de poupar para a aposentadoria e por uma renda imprevisível (75% e 72%, respectivamente). Outros problemas comuns incluem o recebimento de valores justos, acesso a um serviço de saúde acessível e altos impostos.

É importante notar que muitas dessas preocupações também serão compartilhadas por funcionários em tempo integral. Há apenas algumas delas (como uma renda imprevisível) que afetam apenas freelancers.

12. Freelancers são mais jovens

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

A maioria dos freelancers é de pessoas mais jovens, com quase 70% entre 18-34 anos, e apenas 10% acima de 45 anos.

Os freelancers costumam depender de novas tecnologias para trabalhar remotamente de forma bem-sucedida, o que pode atrair grupos mais jovens. Trabalhadores mais novos também têm menos probabilidade de possuir vidas pessoais e profissionais estabelecidas do que funcionários mais velhos, e podem exigir mais flexibilidade em relação a seus trabalhos.

Embora os trabalhadores mais jovens ainda sejam a maioria, percebemos que há uma mudança de tendência geral na questão das atitudes em relação ao emprego. Menos pessoas permanecem na mesma empresa por longos períodos, e as empresas estão recorrendo a freelancers para preencher as lacunas.

13. Dados demográficos de freelancers por gênero

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Nos Estados Unidos, 60% dos freelancers se identificam como homens, e 40%, como mulheres. Essa proporção é mais equilibrada do que a média global, na qual 77% dos freelancers são homens, e 23%, mulheres.

14. A maioria dos freelancers trabalha de casa

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Uma pesquisa recente revelou que 86% dos freelancers trabalham de casa durante a semana. As cafeterias também são populares, com 40% dos entrevistados afirmando que geralmente passam parte do tempo trabalhando nelas.

Com a ascensão dos nômades digitais e a tecnologia que torna possível esse estilo de vida, 25% dos freelancers afirmam trabalhar remotamente em outro país ou cidade. Essa capacidade de trabalhar em qualquer lugar é um grande atrativo para muitos freelancers.

15. Motivos das pessoas para se tornar freelancers

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Perguntou-se às pessoas seus principais motivos para escolher viver como freelancers. A maioria (79%) dos freelancers em tempo integral disse que era para possuir mais flexibilidade em suas agendas, enquanto 77% afirmaram que era para se tornar seus próprios chefes.

Para freelancers em meio período, o motivo mais popular (75%) foi ganhar dinheiro extra. Embora motivos financeiros pareçam estimular os freelancers em meio período, aqueles em tempo integral parecem mais focados em melhorar seu equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

16. Freelancers lidam com múltiplos projetos

  • Quantidade de projetos que os freelancers gerenciam ao mesmo tempo:
    • Um: 13%
    • Dois a quatro: 70%
    • Cinco a nove: 13%
    • 10 ou mais: 4%

A maioria dos freelancers tem múltiplos projetos em andamento rotineiramente – somente 13% dependem de um único projeto. Um portfólio de clientes diversificado indica mais segurança profissional, e a maior porcentagem de freelancers (70%) trabalha em dois a quatro projetos simultaneamente.

17. Metade dos freelancers são trabalhadores intermitentes

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Cerca de 40% de todos os freelancers trabalha menos de uma vez por semana e provavelmente possui outras fontes de renda mais tradicionais além de seu cargo freelance.

A maioria é mais consistente, com 31% trabalhando diariamente e 29% semanalmente, o que sugere a capacidade de se obter trabalhos periódicos, independentemente de eles serem suas únicas fontes de renda ou não.

18. Formação mais valorizadas pelos freelancers

  • Diplomas dos freelancers em termos globais:
    • Bacharelado ou certificado acadêmico: 54%
    • Mestrado ou Ph.D.: 25%
    • Sem diploma: 20%

Os freelancers tendem a valorizar o treinamento de habilidades em detrimento da educação formal, com 93% afirmando que o treinamento de habilidades foi útil, enquanto apenas 79% afirmaram que sua formação universitária continua sendo útil para o trabalho que realizam atualmente.

Nos últimos seis meses, 70% dos freelancers em tempo integral participaram de alguma forma de treinamento de habilidades, e apenas 49% dos trabalhadores tradicionais em tempo integral fizeram o mesmo. Isso mostra que os freelancers estão atualizando suas habilidades com mais frequência para permanecer relevantes em seus mercados.

A maioria dos freelancers está aprimorando suas habilidades nas áreas de networking, tecnologia e gestão de negócios. Uma barreira que eles enfrentam ao acessar treinamentos de qualidade é o custo, o qual afeta 53% dos freelancers.

19. Freelancers são mais ativos politicamente

Em geral, os freelancers tendem a ser mais ativos politicamente do que os não freelancers: 51% dos freelancers em tempo integral participam de atividades políticas, em comparação com apenas 33% dos funcionários tradicionais em tempo integral.

72% dos freelancers afirmaram que estão dispostos a mudar de partido para votar em um candidato que apoie os interesses dos freelancers. Isso indica a forte convicção dos freelancers e sugere que eles são mais vocais em relação a essas questões.

20. A maioria dos freelancers tem múltiplas habilidades

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Em uma pesquisa recente, 61% dos freelancers afirmaram que usam duas a três habilidades nas atividades de seus trabalhos semanais, enquanto 34% usam mais de três. Somente 5% dependem de uma única habilidade.

Isso mostra que os freelancers foram bem-sucedidos em diversificar suas habilidades para oportunidades de trabalho em tipos de projetos variados.

Benefícios da economia freelance

Agora, vamos conferir estatísticas que ilustram os profundos benefícios dessa economia que está crescendo rapidamente.

21. Freelancers contribuem com a economia

  • Atualmente, os freelancers contribuem com US$ 1,2 trilhão (aproximadamente R$ 6,5 trilhões) à economia dos EUA
  • O trabalho freelance representa 5,7% do PIB dos Estados Unidos

Com baixas barreiras de entrada e a capacidade de trabalhar o máximo ou mínimo possível, não surpreende que o trabalho freelance seja uma proposta atrativa para muitos trabalhadores.

22. Freelancers têm um melhor equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Segundo um estudo do Upwork, 77% dos freelancers em tempo integral acreditam que passaram a ter um melhor equilíbrio entre vida pessoal e profissional desde que se tornaram profissionais independentes. No entanto, isso tem um custo, pois 63% também afirmaram que se sentem ansiosos com as novas responsabilidades que precisam administrar.

Mais de dois terços (77%) disseram que agora têm mais tempo para as pessoas e atividades de que gostam. Uma quantidade semelhante de freelancers (76%) afirmou que seu trabalho freelance é mais estimulante, provavelmente o motivo pelo qual 51% afirmam que nenhuma quantia financeira os faria voltar para um cargo tradicional.

23. Freelancers são mais felizes e saudáveis

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Segundo um estudo recente, 80% dos freelancers relataram que possuem mais ânimo, enquanto 82% afirmaram que seus níveis de estresse diminuíram.

Em outro estudo, 68% afirmaram que sua qualidade de vida melhorou desde que começaram a trabalhar como freelancers, enquanto 23% afirmaram que ela ficou no mesmo nível. Somente 9% disseram que ela piorou.

Portanto, não surpreende que tantos entrevistados relataram experimentar benefícios de saúde desde que se tornaram freelancers — quase dois terços observou melhoras no sono e na saúde geral.

24. Freelancers são mais otimistas em relação a oportunidades de evolução

Sentimentos gerais em relação ao potencial de evolução profissional (freelancers x não freelancers):

  • Meu cargo oferece a oportunidade de subir na carreira
    • 72% dos freelancers concordam
    • 53% dos não freelancers concordam
  • Meu cargo me remunera de acordo com meu nível de habilidade
    • 77% dos freelancers concordam
    • 62% dos não freelancers concordam
  • Meu trabalho é desafiador e me permite desenvolver novas habilidades
    • 81% dos freelancers concordam
    • 67% dos não freelancers concordam
  • Meu trabalho oferece um plano de carreira de longo prazo
    • 77% dos freelancers concordam
    • 69% dos não freelancers concordam

Um questionário recente perguntou aos freelancers e aos profissionais em cargos tradicionais sobre suas expectativas de carreira. Quando questionados se seus cargos ofereciam a oportunidade de subir na carreira, muito mais freelancers disseram que havia a oportunidade de ascensão, quando comparados aos colegas em cargos tradicionais.

Em termos gerais, os freelancers se mostraram mais satisfeitos com o salário, nível de habilidade e planos de carreira de longo prazo de seus cargos. Isso pode ser porque os freelancers sentem que detêm mais controle sobre seu trabalho e que podem negociar valores de acordo com cada projeto.

25. Muitos freelancers se sentem mais seguros em seus empregos

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Comparado aos anos recentes, 45% dos freelancers afirmam que agora se sentem mais seguros em relação a seus empregos. Isso pode ocorrer porque eles ganharam mais experiência como freelancers, ou porque há mais oportunidades disponíveis. Somente 21% afirmaram se sentir menos seguros, e 34% disseram que sua segurança está no mesmo nível.

No mesmo estudo, 41% dos entrevistados afirmaram que pretendem trabalhar como freelancers durante o futuro próximo. A maioria (63%) também acredita que manter um portfólio de clientes diversificado oferece mais segurança do que apenas um empregador (crescimento de 10% desde 2016). A maior parte dos freelancers mantém em média 4,5 clientes por mês.

26. O trabalho freelance oferece suporte a diversas circunstâncias pessoais

Em uma pesquisa recente, 42% dos entrevistados afirmaram que o trabalho freelance lhes permitiu a capacidade de trabalhar quando não podiam manter um cargo tradicional devido a circunstâncias pessoais.

Isso permite que pessoas com filhos, problemas de saúde, necessidades especiais ou outros compromissos pessoais trabalhem confortavelmente de casa quando outras opções podem não estar disponíveis.

Rendimentos na economia freelance

Trabalhar como freelancer pode ser extremamente lucrativo para alguns, enquanto outros mal conseguem se sustentar. Isso depende de vários fatores, portanto, conhecer as estatísticas por trás dos rendimentos é útil para quem está pensando em se tornar freelancer, bem como para aqueles que estão contratando.

27. Em média, mulheres ganham menos que homens

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Globalmente, as mulheres em cargos tradicionais ganham apenas 54% do que os homens faturam. Embora essa disparidade ainda exista no trabalho freelance, ela é menor, sendo que as mulheres ganham 88% dos rendimentos de seus colegas homens. Em nossa própria pesquisa sobre plataformas freelance, descobrimos que a disparidade de gênero é maior.

A discrepância varia de acordo com o setor. Ela é maior nas áreas de TI e programação, nas quais as tarifas horárias das mulheres representam em média 74% aquela dos homens. No entanto, em alguns setores, como design e multimídia, as mulheres ganham mais.

Há exceções a essa tendência geral. Em países como Romênia, México e Venezuela, parece não haver disparidade de gênero nos salários dos freelancers – e, na Bolívia e Indonésia, as mulheres ganham mais que os homens.

28. Ganhos médios dos freelancers por hora por setor

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021Na análise por setor, os gerentes de projeto exigem os maiores pagamentos, faturando R$ 153 por hora em média. Administradores recebem os menores valores, com freelancers ganhando R$ 55 por hora em média.

Geralmente, os setores que pagam mais exigem habilidades ou experiências mais específicas. Por esse motivo, há a tendência de haver menos freelancers capazes de oferecer esses serviços, o que lhes permite cobrar valores maiores.

29. Ganhos médios globais dos freelancers por hora

Quando se trata de pagamentos por hora, veja o quanto os freelancers estão ganhando ao redor do mundo:

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Em 170 países, o valor horário médio para freelancers foi de R$ 104.

Quando analisado pelo valor horário, a maioria dos freelancers globais (57%) ganha menos de R$ 82 por hora, e apenas 14% ganham mais de R$ 164 por hora.

Embora isso possa parecer um pouco desagradável, esses valores variam enormemente dependendo de uma série de fatores, como país de origem, idioma nativo, área de especialização e nível de experiência. Aqueles profissionais com as habilidades e experiência certas provavelmente ganharão bem acima da média global de cerca de R$ 104 por hora.

30. Quando se trata de pagamentos, a experiência supera a educação

Diplomas não são muito importantes para os valores médios por hora:

  • Ensino médio completo: R$ 120 por hora
  • Certificado acadêmico ou bacharelado: R$ 104 por hora
  • Mestrado ou Ph.D.: R$ 131 por hora

No caso dos freelancers, os clientes prestam muito mais atenção à experiência e às avaliações de clientes anteriores do que à formação. Isso foi determinado analisando-se o valor médio por hora dos freelancers com base em seus níveis de educação.

Quem é mais velho e possui mais experiência de vida (e carreira), bem como aqueles que ganharam feedback positivo em alguma plataforma freelance, tende a receber pagamentos mais altos.

31. Freelancers em tempo integral têm dificuldades para administrar dívidas

  • Sente como se vivesse dependendo de cada próximo pagamento
    • 59% dos freelancers
    • 53% dos não freelancers
  • Possui empréstimos estudantis ou outras dívidas para pagar
    • 46% dos freelancers
    • 36% dos não freelancers

Quando os freelancers foram questionados a respeito de como lidam com suas despesas, 59% afirmaram que se sentem como se vivessem dependendo de cada próximo pagamento, em comparação com 53% dos trabalhadores tradicionais em tempo integral.

Quando comparado aos trabalhadores tradicionais, 10% mais freelancers têm empréstimos estudantis ou dívidas similares, sendo que 46% afirmaram que ainda precisam quitá-los.

No entanto, os freelancers estão mais preparados para emergências, com 52% deles afirmando possuir dinheiro suficiente para cobrir emergências – e 43% têm dinheiro o bastante para ficar duas semanas sem receber pagamentos; as porcentagens de seus colegas empregados em tempo integral ficaram em 44% e 31%, respectivamente.

32. Freelancers são explorados… e muito

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Um aspecto lamentável sobre o trabalho freelance são os clientes pouco confiáveis. Quando questionados se já foram enganados por um cliente, impressionantes 45% dos freelancers admitiram que sim, enquanto 55% afirmaram que não.

A maioria dos trabalhadores acredita que isso se deve à falta de respeito pela comunidade freelancer, e 35% colocam a culpa em contratos vagos ou mal elaborados.

Essa é uma grande vantagem em se trabalhar em plataformas freelance como Upwork ou Freelancer.com, as quais possuem sistemas em vigor para garantir que os contratos sejam cumpridos – e oferecem serviços de arbitragem quando necessário.

Projeções futuras

Segundo a maioria dos especialistas, o futuro do trabalho freelance parece brilhante. Confira algumas das principais projeções sobre o que vem a seguir para essa economia em rápida expansão.

33. Freelancers representarão a maioria da força de trabalho dos EUA

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

No ano de 2027, projeta-se que os freelancers representarão a maioria da força de trabalho dos Estados Unidos, com 50,9% da população ativa.

De fato, à taxa de crescimento atual, estima-se que 67,6 milhões de norte-americanos trabalharão como freelancers até o final deste ano, o que representa 42% da força de trabalho dos EUA! Isso causará implicações importantes sobre a forma de operação das empresas e a respeito de como os projetos são gerenciados.

Não é improvável que o Brasil também seguirá essa tendência, como consequência da evolução do mercado freelance e das novas oportunidades de trabalho remoto.

34. A maioria das empresas recorrerá a trabalhadores freelancers

Bem, isso simplesmente faz sentido. Se há mais trabalhadores freelancers, haverá mais empresas utilizando seu serviços. Ao final de 2021, projeta-se que 56% das empresas permitirão o trabalho remoto global, sendo que 16% delas empregarão a totalidade de suas equipes com trabalhadores remotos globais.

Em média, o trabalho remoto permanente representará 34,4% da força de trabalho das empresas. Isso significa que o trabalho remoto mais do que duplicará quando comparado aos números pré-pandemia, os quais totalizavam 16,4%.

35. O que os freelancers querem mais no futuro

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

Perguntou-se aos freelancers o que eles achavam que falta no mundo do trabalho freelance que gostariam de ver mais no futuro. A maioria, 61%, acredita que o trabalho freelance carece de uma comunidade forte, e que poderia se beneficiar de uma colaboração aprimorada.

Os entrevistados também desejam operações comerciais mais otimizadas, mais oportunidades de trabalho remoto e melhor proteção dos seus direitos.

É apenas questão de tempo até que essas necessidades sejam atendidas por empresas oportunistas, e diversos apps já estão disponíveis para ajudar freelancers e equipes remotas a permanecer produtivos.

36. Globalização e trabalho freelance

Os freelancers consideram a globalização como:

  • Uma oportunidade de crescimento: 71%
  • Uma não ameaça ou algo neutro na rede: 21%
  • Uma ameaça devido à maior concorrência: 8%

Um estudo recente analisou as atitudes dos freelancers em relação à globalização. A maioria dos freelancers considera a globalização algo positivo, por conta de mais clientes e oportunidades de trabalho em potencial. No entanto, as perspectivas podem variar dependendo das habilidades do freelancer e do nível de concorrência em seu setor.

37. Nenhuma quantidade de dinheiro poderia me afastar do trabalho freelance

60+ dados freelance – por que a gig economy cresce em 2021

51% dos freelancers afirmam que nenhum valor poderia convencê-los a aceitar um trabalho tradicional.

No entanto, 29% dos freelancers afirmam que ganhar até R$ 27.350 extras anualmente os convenceria a aceitar um cargo permanente. O ponto ideal para 4% dos freelancers exigiria um aumento de R$ 547.000+ em seus pagamentos anuais para que considerem uma mudança.

30 estatísticas adicionais

  1. Aproximadamente 1,1 bilhão de freelancers trabalha em todo o mundo
  2. 7 entre cada 10 freelancers preferem viver longe das grandes cidades
  3. 35,5% dos freelancers estão localizados na Europa – mais do que em qualquer outro continente
  4. Há 3,4 milhões de freelancers no Japão, o que representa 5% da força de trabalho do país
  5. Existe mais de 1,4 milhão de freelancers trabalhando no Reino Unido
  6. Nos Estados Unidos, a força de trabalho freelance está crescendo 3 vezes mais rápido do que a força de trabalho geral norte-americana
  7. Os freelancers britânicos trabalham em média 27 horas por semana, muito menos do que no resto da Europa
  8. Os freelancers dos EUA são os que ganham mais, com um crescimento de receita anual de 78%
  9. Devido à pandemia do coronavírus, as vagas de trabalho freelance cresceram 41% no segundo trimestre de 2020
  10. Empresas com pelo menos 11% de funcionários freelancers faturaram, em média, US$ 6.400 (cerca de R$ 34.880) a mais do que as empresas que empregaram menos freelancers
  11. Os empregadores economizam US$ 11,6 (cerca de R$ 63,22) por hora por funcionário ao contratar freelancers
  12. O Upwork faturou US$ 87,5 milhões (cerca de R$ 476 milhões) no último trimestre
  13. Em média, os freelancers dos EUA ganham mais do que 70% dos profissionais
  14. Nos Estados Unidos, 40% dos freelancers têm uma formação melhor do que o trabalhador médio
  15. Um contrato é fechado a cada quatro segundos no Fiverr
  16. 73% dos freelancers não mudaram seus preços devido ao coronavírus
  17. A indústria do entretenimento contrata a maioria (55%) de suas equipes na forma de freelancers
  18. Há mais de 1.800 categorias de trabalho diferentes no Freelancer.com
  19. 1,07 bilhão de horas é gasta com trabalho freelance por semana, o que representa uma média de 19 horas por freelancer
  20. As pessoas que trabalham em casa são, em média, 13% mais produtivas que aquelas que trabalham fora
  21. Há 4,1 milhões de nômades digitais (pessoas que financiam suas viagens através do trabalho freelance)
  22. De todas as empresas que contratam freelancers ativamente, apenas 1 em 4 consideraria um freelancer para um cargo de RH
  23. 57% dos freelancers em tempo integral consideram seu trabalho interessante
  24. 17 milhões de pessoas desejam ser nômades digitais
  25. Freelancers representam 75% do pessoal empregado no setor de artes e design
  26. 96% dos freelancers acreditam que o trabalho freelancer mudou nos últimos anos
  27. 90% dos nômades digitais estão satisfeitos com seu trabalho
  28. 30% de todas as empresas de trabalho remoto têm uma CEO ou fundadora do sexo feminino
  29. Os trabalhadores remotos economizam entre US$ 2.000 e US$ 7.000 (cerca de R$ 10.900–R$ 38.150) por ano em comparação com funcionários de escritórios
  30. Existem 10,9 milhões de nômades digitais nos Estados Unidos, 49% a mais do que em 2019

Conclusão

O trabalho freelance está rapidamente evoluindo para se tornar uma das principais fontes de renda de pessoas em todo o mundo. Portanto, se você é um cliente que procura por ajuda de qualidade ou um profissional em busca de uma fonte de renda adicional, essa forma de trabalho mais flexível oferece uma enorme oportunidade a inúmeros setores.


Fontes:

Statista
Payoneer
Upwork
Edelmann
Freelancers Union
Departamento de Comércio dos Estados Unidos
Vectorpunch/freepik.com
OwlLab
Enterprise Technology Research
MBO Partners, Relatório State of Independence
Workana
Estudio sobre la situación del autónomo en la crisis del Covid-19, Infoautónomos & University of Granada
Infoautónomos
Eurofound

Neste artigo
Avalie este artigo
4.3 Votado por 51 usuários
Você já votou! Desfazer
Este campo é obrigatórioMaximal length of comment is equal 80000 charsComprimento mínimo do comentário é 10 caracteres

Algum comentário?

Responder avaliação
Ver %s respostas
View %s reply

Posts relacionados

Mostrar mais posts relacionados

Nós analisamos todos os comentários de usuários dentro de 48 horas, para garantir que eles sejam provenientes de pessoas reais como você. Estamos felizes que tenha achado este artigo útil - ficaríamos agradecidos se você o compartilhasse com outras pessoas.

Compartilhe este post com amigos e colegas de trabalho agora mesmo:

Temos certeza de que ela será útil para outros usuários. Nossa equipe irá verificar a avaliação e aprová-la em.

Uma vez por mês, você receberá dicas, truques e dicas interessantes e perspicazes para melhorar o desempenho de seu site e alcançar suas metas de marketing digital!

Que bom que você gostou!

Compartilhe com seus amigos!

1865619
100
5000
97155